O Grupo

O Grupo para Inovação com Tecnologias Abertas (GRITA) é um coletivo digital que pretende reunir alunos, professores, profissionais e entusiastas por tecnologias, especialmente as livres e abertas (software livre). Trata-se de um grupo que busca promover, mobilizar e difundir o processo de inovação, estudo e emprego de tecnologias, especialmente as abertas no Ensino Superior, e por consequência na Sociedade.

Esperamos fomentar e acelerar o desenvolvimento de ideias e projetos por meio de comunidades temáticas de colaboração, para que a partir do fortalecimento do tecido social acadêmico, possamos ampliar a difusão e emprego de tecnologias na Sociedade, afinal o aluno do Ensino Superior é um cidadão e futuro profissional do mercado.

Neste contexto buscamos apresentar o Software Livre e as Tecnologias Abertas, bem como as suas possibilidades na busca em potencializar a colaboração, o compartilhamento de conhecimentos e o surgimento de novas comunidades. É claro que nem sempre essa será a única solução disponível, por isso o grupo também poderá utilizar tecnologias proprietárias, sempre pensando na melhor solução de um problema tecnológico. Para resolver um problema sempre tentaremos buscar uma tecnologia livre, até para demonstrar que muitos podem ser resolvidos com tecnologias livres e abertas. Mesmo aqueles problemas que ainda não possuem uma tecnologia livre e aberta para sua solução serão documentados. Isso servirá de incentivo para a pesquisa de uma solução aberta.

Dentro dessas comunidades buscaremos ajudar na construção, debate, diálogo e elaboração de informação e novos conhecimentos que permitam o aprofundamento e apropriação de novos conceitos e habilidades.

Como surgiu?

A ideia de criação do grupo surgiu de uma conversa entre um professor e um grupo de alunos do Ensino Superior dentro de um TAXI, durante o deslocamento para um evento de Software Livre.

Analisando a realidade do Ensino Superior de Brasília, do mercado de trabalho na área de tecnologia da informação (TI), do universo dos concursos públicos e das comunidades de Software Livre ficou claro que existe um “gap” (buraco / lacuna) de organização de comunidades temáticas de estudo e prática, de networking e relacionamento profissional, assim como uma mobilização para o empreendedorismo e para a aceleração de ideias e projetos de alunos do Ensino Superior com o uso tecnologia da informação, preferencialmente abertas e inovadoras.


Deixe uma resposta